20/04/10

Poesia


Mais do que amar a poesia
Queria ser poesia, inventada
Num sonho de alguém
Andar agarrada
Às bocas famintas
Do beijo de ninguém.
Queria cantar em silêncio
As notas sopradas com prazer
Nas horas loucas
Das palavras produzidas
Poéticas,
Perfumadas como lírios
Ávido toque mágico
Como só um Deus pode fazer.
Entrego meu corpo ao Olimpo
banhando-me em chuva de prata
Aguardo impaciente, a tua voz
Doce melodia que me arrepia
e minha alma arrebata.



Poema de Maria Escritos
FOTO de Nuno de Sousa
© Todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário