12/04/10

Ode ao Amor


Gosto de olhar os teus olhos
E ver-me reflectida no brilho deles
Sussurrar-te ao ouvido
O quanto te quero, e
Te espero!

O toque da tua mão em meu rosto,
Na minha pele branca roçando de leve
Bocas coladas unidas num beijo
Quente! Línguas atrevidas
Como as labaredas do fogo.

No calor desta paixão,
Soltam-se arrepios de prazer
O teu corpo no meu, enrolados
Ardor que aumenta o desejo
E a avidez do beijo.

Entre as ondas da volúpia
Sobressaem gemidos da paixão
Os Deuses nos deram este rumo
E também a flor para que a colhêssemos
Como quem larga fluxos sobre o leito.

A ti eu amo, porque amo
Pondo meu querer antes do ramo
Pois a inocência inata quando se ama
Corre o rio onde encontra seu retiro
E não quando é preciso!



Maria Escritos
© Todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário