05/04/10

Pedaços que restam de mim


Porque me desfaço em palavras
Se me desconheces quando te invado os sonhos
Quando me transformo em lembranças e ficas no meu pensamento
Se me rasgo em pedaços e desfaço em cacos

E neste chão me desfaço e refaço
Não sei se fico ou se parto
Com a saudade escondida por entre a névoa
Sorrindo em popa com espuma na mão

Não sei porque me apago e reparo
Com tantas palavras no meu regaço
Que adornam estes pedaços que restam de mim
Histórias que fiz, mesmo assim

Palavras, deste mar meu onde navego
Mar sem fundo, palavras sem fim
Pedaço, após pedaço eu me ofereço
Às ondas das palavras que eu não conheço

Destituída dos sentimentos que enxergo
Nesta imensidão de fragmentos que sou
Abraço a esperança que me faz Ser
E desfaço-me na Praia do amor
Que alvoroçada espera por mim



Maria Escritos
© Todos os direitos reservados

1 comentário: