10/04/10

Beijo


Beijo arrebatado,
No prazer das línguas
Loucas, desenfreadas
Escondidas sob um lençol.

Beijo de fome
Sofreguidão de quem ama
E pela boca desfere
Sentimento bélico do bem

É a fome da língua que sente
A boca do verbo amar
É um beijo dado na alma
De quem ousa se transformar

E quando as línguas se tocam
Os corpos, abrasados, unificam-se
Saciando o instinto
Sem regras e normas.


Ah! Beijo…
Beijo penetrante e denso
Que faz a pele arrepiar
O desejo no ar suspenso
E as línguas na boca na hora de amar.


Maria Escritos
©Todos os direitos reservados

Sem comentários:

Enviar um comentário