07/07/10

Áurea celeste


Amorável raiar da aurora
Invadindo abraço teu
Lábios unidos num beijo
Doce e sublime como o céu
Empíreo salpicado de diamantes
Todos luzindo ao luar
Corpo e alma unificados
Frenesim e sede de amar
Inquietude sobre a pele
Lavada pela manhã
Pingos suaves de orvalho
Com perfume de romã
Anelo que se empossa
E na minha áurea se veste
Adorna-me com mil luzes
Puro berço celeste


© Maria Escritos / Paula Moreira

Beijos de mar


O mar enrolou-se nos beijos
Perdendo-se nos abraços
Que o amavam sem pressa.
Os grãos de areia fina,
Alva, pura e nua
Entregaram-se à boca faminta
Que aos poucos lhe roubava a alma.
E a onda que crescera
Para lá do meio do algar,
Cobriu-a com espuma
Perfumou-a de maresia
Enfeitiçou-a para se entregar.


©Paula Moreira/Maria Escritos

Latejar


Picasso blue nude

Lateja de calor o corpo
Lançado no ventre desta terra gelada
Abrasam as palavras soltas dos versos
Que explodem e se colam à pele transpirada.

E quantos versos se construíram
Amanhados com fios de suor
Quantas aragens se produziram
Agora estampadas na nudez de amor.

©Paula Moreira/ Maria Escritos