22/10/09

Dias de tempestade




O dia amanheceu cheio de chuva que batia nas janelas furiosamente. Preguiçosamente saí da cama e fui abrir as persianas vislumbrando a tempestade que lá fora se abatia, dando um olhar desolado a este amanhecer.

Enquanto afastava os lençóis do meu leito de sonhos, senti-me como o vento que lá fora uivava com toda a sua força e arrasava tudo na sua passagem. Lembrei-me de ti e de toda a tua ausência ao longo destes anos de lamúria. A revolta e a dor apoderam-se de mim. Como pudeste ser capaz de me deixar? Como pudeste abandonar-me a esta dor que me devora e me consome a alma? Como te atreveste a partir sem mim deixando aqui sozinha, sonhando com a ternura dos teus beijos, sofrendo pela ausência dos teus afagos.

Trago acorrentada no meu peito, a lembrança das noites ardentes de amor, quando me tomavas nos teus braços e me possuías com tal fervor, elevando-me a um mundo de sensações fabulosas. São impressões gravadas no meu ser que me levam a buscar-te em sonhos, todos os dias, em busca da paixão que germinou em mim. É a sede dos teus beijos e das mil carícias com que me tragavas e me fazias tua é o desejo ainda latente no meu corpo, ansiando que me arranques mais um gemido ou um suspiro de prazer.
Trago o coração desenfreado, buscando em sonhos o consolo para o ardor desta paixão que herdei de ti. Este fogo que me queima as veias, este amor que respira em mim.
Cheiro os lençóis onde dormi rebuscando na lembrança, o aroma do teu cheiro que tanta falta me faz.


Lá fora cai um dilúvio bestial, que me traz de volta á realidade e me obriga a recordar. Saio para a rua e deixo-me fustigar pela chuva que me bate desenfreada no rosto e escorre pelos contornos do meu corpo. Ao meu lado surgem raios vindos do céu e trovões ecoam no ar, como se fosse uma homenagem fúnebre.
Faz hoje cinco anos que me deixaste, e o tempo acompanha o meu viver fazendo jus ao meu pesar. O tempo hoje chora comigo a tua morte.


Maria Escritos

1 comentário:

  1. Já tinha comentado no FB este poema. Sabes o que penso...
    A Saudade toca-nos porque o sentimento de perda foi profundo.
    Gostei de te ler.
    Beijinhos

    ResponderEliminar