10/09/09

Choro meu, choro meu


È sempre á noite,
À noitinha
Que vens bater à minha porta
Vais entrando sorrateira
E sentas-te a meu lado
Apoderando-te de mim

Engasgas-me com arrojo
Abraças-me com valentia
Cobres o meu corpo
Com abundância
E procuras a minha face

E é então
Que me rasgas o olhar
E sais
Em forma de lágrima

Tu,
A minha eterna companhia
E quando não vens
Choro meu , choro meu
Sinto falta de ti


Maria Escritos

2 comentários:

  1. Adorei seu espaço. Cheguei aqui através do Facebook. Demais!!

    bjs

    Sue

    ResponderEliminar