01/08/09

O Milagre


Durante toda a noite a Lua vigiou a Terra, sobressaltada por haver tão poucas estrelas acordadas. Este Mundo não pode ficar assim desconsolado e sozinho, pensou. As estrelas devem estar cansadas, de noite após noite, brilharem sobre o mesmo lugar sem haver quem se lembre de lhes erguer o olhar e atirar uma prece. Então a Lua, chamou a si toda a força que ainda lhe restava e ficou ali, pairando bem no alto do firmamento, iluminando as calçadas da nossa terra com os seus fluxos de luz prateada.
Durante toda a noite a Lua acarinhou a mãe Terra, que a felicitou com a tranquilidade dos oceanos e o esvoaçar das gaivotas que pipilavam de contentamento augurando um bom presságio. Durante toda a noite o canto das sereias embalou os mares e os seus seres. E a Lua, no alto da sua magnificência expulsava ainda com mais veemência as suas ondas prateadas em direcção a Terra.
Chegada a manhã, o sol encostou a lua no seu leito para que repousasse, e então tomou o seu lugar para que ninguém ficasse sem amparo. Esticou o mais que pôde os seus raios cintilantes e sobre a Terra semeou a sua luz como se de uma chuva de bênçãos se tratasse. Em cada centelha podia-se ler: Um bom dia para todos.
Alguns com medo abrigaram-se na sombra fugindo à explosão de cor que irradiava do céu. Outros nem se deram conta e seguiram o seu caminho como nada de grandioso se tivesse passado. Os pássaros e as borboletas dançavam ao redor da brisa suave que soprava arrastando consigo mil e um aromas deliciosos. As flores abriam as suas pétalas para mais um dia radioso. As árvores juntaram-se à dança dos animais e chamaram a restante fauna. As sereias, embriagadas de felicidade, deixaram o seu testemunho na areia antes de se recolherem ás profundezas do oceano. E o milagre da vida sucedia-se em catadupa, dando razão ao augúrio das aves.

Só o bicho homem não se deu conta de tal!



Maria Escritos

1 comentário:

  1. Será que a Lua é a Matriarca do Universo? Se tal fôr os cientistas estão desatentos. Só tua sensibilidade e visão é que podiam ver o fascínio e fenómeno da Lua. Não é por acaso que a Lua e nomeadamente a LUA CHEIA, me fascina. Tem brilho natural, ilumina a Alma e entra no meu Espirito. A Lua Cheia também tem algo de orgânico que só não dá conta de tal, quem é homem bicho!

    ResponderEliminar