14/08/09

Chuva



Há três dias que chove sem parar
Gotas salgadas caindo do olhar
Desvanecendo e toldando o contemplar

Concentra-se no regaço aspergido
Um mar de lágrimas retraído
Por causa de um espinho embutido

Fica a alma sofrida de tanto gotejar
E os sonhos destruídos pelo mal pronunciar
De alguém que não sabe o que é amar!


Maria Escritos- 2009

Sem comentários:

Enviar um comentário