28/07/09

Sorrir à Vida


Faz tempo que não caminhava assim ao teu lado. Que saudades de sentir o teu leve roçar por entre os meus dedos. Dou-me conta da falta que me fizeste este tempo todo. Eu sei, tens razão. Perdi-me num emaranhado de gentes sem escrúpulos que brincaram com as minhas emoções. Perdoa-me. Sabes, eu sentia um vazio cá dentro, inexplicável, sem saber o que me provocava essa sensação.
Agora, aqui contigo , apercebo-me de que mesmo estando alheada e absorta noutras coisas, tu estiveste sempre ao meu lado. Como pude ser tão cega?
Neste momento, sinto-me livre e feliz por te ver brincar de novo com uma madeixa de cabelo que teima em fugir do seu lugar. Fico-te grata por não me teres abandonado. A ti Vida, faço um brinde e convido-te para uma valsa.
Olho-te de frente e sorrio para ti.
- Vamos dançar?

Sem comentários:

Enviar um comentário